Alterações calendário vacinal 2016

14 junho, 2016
por:

vacinacao-vacina-criancas-Mae_tipo_eu

HPV – Papiloma Vírus Humano:

Vacinas existentes: A vacina  bivalente com os subtipos 16 e 18 que é indicada para meninas maiores de 9 anos de idade, adolescentes e mulheres, em três doses.

A vacina quadrivalente que engloba os subtipos 6, 11, 16 e 18 é indicada meninas e mulheres entre 9 e 45 anos e para meninos e homens entre 9 e 26 anos de idade, em três doses (0-2-6)

Rede Pública: Um esquema alternativo de vacinação para indivíduos entre 9 e 13 anos de idade seria de duas doses, a segunda de 6 a 12 meses após a primeira. A vacina disponível no PNI, exclusivamente para o sexo feminino entre 9 e 13 anos de idade, é a vacina quadrivalente( 6, 11, 16 e 18). A partir de 2016 o PNI ( Programa Nacional de Imunização) modificou o esquema passando para duas doses, sendo que a menina recebe a segunda dose seis meses após a primeira, deixando de ser necessária a terceira dose.

As mulheres vivendo com HIV entre 9 a 26 anos de idade devem continuar recebendo o esquema de três doses (0, 2 e 6 meses)

Pneumocócica: 

Vacinas existentes:

Rede pública: Pneumo 10 Valente

Protegerá as crianças contra doenças invasivas e otite média aguda causadas por Streptococcus pneumoniae de 10 sorotipos ( 1, 4, 5, 6B, 7F, 9V, 14, 18C, 19F e 23F ).

O Ministério da Saúde reduziu para duas doses no primeiro ano de vida da vacina pneumocócica 10-valente a partir de 2016, administrada aos 2 e 4 meses de idade, seguida de um reforço, preferencialmente aos 12 meses, podendo ser aplicado até os 4 anos de idade. Essa recomendação foi tomada em virtude dos estudos mostrarem que o esquema de duas doses mais um reforço tem a mesma efetividade do esquema de três doses.

Rede Particular: Pneumo 13 Valente

A pneumocócica conjugada 13-valente protegerá contra os 13 tipos da bactéria pneumococo (1,3,4,5, 6a, 6B, 7F , 9V, 14, 18C, 19A 19F, 23F)

O sorotipo 19 A é considerado um dos mais agressivos para doenças como pneumonia e meningite e o principal na resistência aos antibióticos utilizados para tratar as doenças pneumocócicas. Esta bactéria pneumococo do sorotipo 19A vem crescendo em várias regiões do mundo, inclusive no Brasil, e vem mostrando resistência aos antibióticos.

Recomendam- se três doses da vacina Pneumocócica conjugada  13 valente no primeiro ano de vida (2, 4, 6 meses), e uma dose de reforço entre 12 e 15 meses de vida.

PÓLIO: A terceira dose da vacina contra poliomielite, administrada aos seis meses, deixa de ser oral e passa a ser injetável. A mudança é uma nova etapa para o uso exclusivo da vacina inativada (injetável) na prevenção contra a paralisia infantil, tendo em vista a proximidade da erradicação mundial da doença. No Brasil, o último caso foi em 1989.

A partir de agora, a criança recebe as três primeiras doses do esquema – aos dois,  quatro e seis meses de vida – com a vacina inativada poliomielite (VIP), de forma injetável. Já a vacina oral poliomielite (VOP – vírus vivo ATENUADO) continua sendo administrada como reforço aos 15 meses, quatro anos e anualmente durante a campanha nacional, para crianças de um a quatro anos.

Rede particular: Mantida indicação de apenas VIP ( vírus INATIVADO) aos 2 , 4 , 6 , 15 meses e aos 4 anos o segundo reforço.

Meningocócica:

Rede pública: O reforço, que anteriormente era aplicado aos 15 meses, passa a ser aplicado aos 12 meses, preferencialmente, podendo ser feito até os 4 anos. As primeiras doses da meningocócica C continuam sendo realizadas aos 3 e 5 meses.

Rede particular: Recomenda-se o uso rotineiro da vacina meningocócica conjugada para lactentes maiores de 2 meses de idade, crianças e adolescentes. A vacina meningocócica C conjugada está licenciada no Brasil para uso a partir de 2 meses de idade. A vacina meningocócica ACWY conjugada ao mutante diftérico (ACWY- CRM) foi licenciada recentemente no Brasil, também para uso a partir dos 2 meses de idade

No primeiro ano de vida são recomendadas:

Duas doses da vacina meningocócica C conjugada, aos 3 e 5 meses, lembrando-se que esta é disponibilizada pelo PNI. Quando for utilizada a vacina meningocócica ACWY conjugada ao mutante diftérico (ACWY- CRM) no primeiro ano de vida, disponível no momento somente em clínicas privadas, recomendam-se 3 doses para os lactentes que iniciam a vacinação entre 2 e 6 meses de idade, com intervalo de pelo menos 2 meses, e uma quarta dose no segundo ano de vida entre 12 e 16 meses.

Para aqueles entre 7 e 23 meses de idade, não vacinados previamente, o esquema vacinal é de 2 doses, com a segunda dose administrada a partir de 12 meses de idade e pelo menos 2 meses de intervaloda dose anterior. A dose de reforço, recomendada pela SBP entre 12 e 15 meses de idade, pode ser feita com a vacina meningocócica C conjugada ou preferencialmente com a vacina meningocócica ACWY, assim como as doses entre 5 a 6 anos de idade e aos 11 anos. A recomendação de doses de reforço 5 anos depois (entre 5 e 6 anos de idade para os vacinados no primeiro ano de vida) e na adolescência (a partir dos 11 anos de idade) é baseada na rápida diminuição dos títulos de anticorpos.

Meningocócica B recombinante:

Disponível apenas na rede particular:

Recomenda-se o uso da vacina meningocócica B recombinante para lactentes a partir de 2 meses de idade, crianças, adolescente e adultos até 50 anos.

 

Comente no Facebook

Comente no blog

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados com esta matéria