Entrevista: Mãe tipo eu, Moira Civeira

10 maio, 2016
por:

Hoje tem uma entrevista diferente e especial: Moira, minha amiga gaúcha que conta em detalhes todas as dificuldades que a maternidade nos apresenta e ninguém tem coragem de contar! Ela divide inclusive como superou uma depressão pós-parto e o medo de ter o segundo filho. Vale a pena ler cada linha!

Mô, obrigada pela participação e sinceridade!

image5

Idade e Profissão: 36 anos, Médica Veterinária.

Mãe da: Valentina, 2 anos recém feitos!

Como foi a escolha do nome? Estava em dúvida entre os nomes Martina e Valentina, procurei significados na internet e optamos por Valentina por ser valente e forte para este mundo que a esperava! E nao é que deu super certo? Menina decidida e de temperamento único, independente e corajosa, com um leve toque de meiguice!

Quem foi a primeira pessoa para quem você contou que estava grávida? Fez alguma surpresa? Estava a trabalho no interior do RS, à noite achei minha barriga estufada, fui na agenda e vi que estava há 3 dias atrasada na menstruação… No dia seguinte, passei em uma farmácia, fiz o teste e na hora deu positivo! Liguei para meus pais e depois para meu marido! Ambos disseram que teste de farmácia dava falso positivo… Assim, à tarde um colega meu me levou ao laboratório, ficaram de me retornar no final do dia… Quando ligaram, era REAL! Como sou muito objetiva, nao fiz nenhuma surpresa, até porque, a única pessoa que mais estava surpresa com o resultado era Eu mesma!

Que cuidados que você teve durante a gravidez e recomenda? Minha gestação foi leve, linda e sem medos. Não fiz nada de diferente do que já fazia: caminhava, viajava muito a trabalho, minha rotina foi a mesma, só tive que cuidar da pressão pois, desde o início foi alta!

Onde você fez o enxoval? O que foi indispensável e o que se arrependeu de ter comprado? Fiz enxoval e muitas lojas aqui em Porto Alegre, mas também comprei muitas coisas em site de compras. Foi muito tranquilo, iniciei a organização das compras e decoração do quartinho logo no início. Pensava que seria um menino, mas ao saber no meu obstetra que era uma menina, mantive a decoração, mas com um toque provençal com um lustre lindo de cristal! O que mais usei e ainda uso é o berço portátilO berço do quarto é lindoooo e ela nunca sequer dormiu um cochilo, acabei transformando e usando as laterais em uma cama de solteiro, agora só falta coragem de colocá-la lá!

Qual o modelo de carrinho que você comprou? No início, tinha um Chicco, mas depois comprei Quinny e um Maclaren Quest, que foi minha melhor compra: compacto tipo guarda-chuva e deita 100%.

Como foi o período pós-parto e quais os cuidados que você teve durante a amamentação? Esta parte foi a mais complicada de todas! O parto foi de emergência pela pressão alta. Fui no meu GO onde fiz uma ecografia e ele me mandou para o hospital, fizeram exames, escutei a médica falando que meu parto seria às 18:30h daquele dia! Pedi para sair e fazer escova e mãos kkkkk, virei piada para enfermeiras como a grávida louca que queria ir para o salão com a pressão nas alturas! A Valentina nasceu de cesárea. Eu estava muito nervosa e após o nascimento ela ficou em observação pois, estava com dificuldade de respirar. Após 4 horas veio ao meu lado! Nos dias que se passaram no hospital foram inúmeras as tentativas de amamentar, mas ela chegava próximo de mim e berrava. Abreviando a historia, fomos para o leite artificial. Chegando em casa, tive a famosa depressão pós-parto que muitas mães, por vergonha dos sentmentos, sofrem em silêncio. Fiquei 3 meses sofrendo, criei transtorno obsessivo pela bebê, insônia, emagreci 18 kg em um mês… Até que um dia procurei ajuda e comecei a ter a melhor sensação do mundo: Saber o que é amar seu filho! Permaneci até o aniversario de 1 ano com a medicação. Hoje, vejo como fui resistente em procurar ajuda, e como poderia ter sido tão bom este momento inicial! Mas caso tenha outro filho, aprendi!

Como foi a montagem do quarto? Você teve alguma ajuda? Como é a decoração (tem tema)? Fiz tudo sozinha. O tema é de animais com toque provençal e tecidos chevron em tons de bege e concreto!

12938209_1247236348637821_183453297377114723_n

O que você achou mais fácil e mais difícil do que imaginava? Inicialmente, tudo era difícil, mas hoje vejo que o medo e a depressão potencializaram a dificuldades! O mais complicado foi ter de aceitar a não amamentar, e o mais fácil foi que com esta relutância dela em aceitar o peito, tive uma maior liberdade em fazer minha rotina voltar a ser eu mesma.

Como você é no papel de mãe? Age como imaginava? Muita coisa mudou? Sou uma mãe exatamente como imaginava, sem neuras, cuidadosa, muito parceira, muito carinhosa, e muio divertida! Tenho ainda alguns medos que ficaram, como o de sair em público com ela, mas aos poucos vou me testando e vencendo-os! Sou daquelas que acorda de hora em hora para ver se ela está coberta, se está bem… Muito dedicada, chegando a ser até meio neurótica, hehehe.

image2

Como é o seu marido como pai? No inicio ele era distante, acho que pelo bebê nao interagir tanto, mas após 1 ano, vi um salto na relação deles. Hoje ele é totamente protetor, parceirão, toca junto (só banho que não), sai sozinho com ela, leva na escola… È uma farra quando estão juntos!

Quanto tempo você ficou de licença maternidade e como foi a volta ao trabalho? Fiquei de licença 4 meses e o retorno foi maravilhoso pois, precisava do meu tempo, das conversas e de produzir. Porém, após 1 ano e meio larguei tudo (trabalho de 10 anos) para me dedicar a ela e fazer a adaptação na escola. Agora, retornei ao trabalho e cada uma seguiu suas rotinas, vejo que só ganhamos com isso! A adaptação foi de 2 meses, muitos choros, vômitos de nervosismo da Valentina, mas com muita determinação, estamos nos saindo muito bem, interagindo, aprendendo novas palavras! Está sendo um aprendizado para ambas. Mas confesso que esta atual separação foi muito mais complicada para mim do que a primeira!

image1

Sentiu que deveria ter aproveitado mais algum momento? Algum acontecimento marcante? Sim, senti que pela depressão perdi o início da rotina de mãe e filha, mas corri atrás deste prejuízo e não me culpo mais!

Você costuma buscar dicas e informações na internet? Do que sente falta? Sim, diariamente sigo blogs de assuntos relacionados a bebês, compras e dicas, um deles que sou fã é o da Bru (Mãe tipo eu), adoro as novidades e sou leitora assidua!

Descreva um dia de vocês (a rotina): Trabalho de segunda a quinta, então, sexta é nosso dia: acordamos juntas, dou mamadeira, assistimos Peppa, nos vestimos e vamos canatando no carro a caminho da escola. Deixo-a com a prof, dou um beijo, digo que a amo e estarei ali esperando por ela… Faço coisas de mulher (unhas, cabelo, depilação), almoço e vou correndo buscá-la na escola. De lá, vamos na pracinha, comemos pipoca e voltamos para casa. Após o banho, brincadeiras, jantar e soninho cedo!

O que fazem para se divertir? Quais os programas que vocês mais gostam de fazer? Adoramos parques, espaço para criancas. Montei em casa um verdadeiro parque com pula pula, casinha, picina de bolinhas, gangorra… Curtimos nossa casa, de brinquedo em brinquedo, até cansar!

13082638_1269952349699554_3023735122702732804_n

Como você gosta de vestir sua filha? Quais suas lojas preferidas? Enquanto ela não escolhe, curto vestir com tons neutros, casaquinhos de linha, Melissinhas e laços, temos uma imensidao deles, de tudo que é cor e modelo. Na minha última viagem a Miami, meu marido dizia: lá vem a maníaca pelos laços.

image4

Comemorações. Já fizeram? Algum Tema? A festa de 2 anos foi de PIUPIU, primeira palavra e amor pelos pássaros, fiz tudo sozinha e ficou um encanto!

13087538_1265355166825939_3289193432067199992_n

Que valores você considera essenciais e quer passar para sua filha? Sou muito correta, sempre que prometo algo para ela, cumpro. Passo valores afetuosos e de muita bondade. Também ensino ela a amar os animais e natureza. Quando me visto com alguma roupa com estampa de animais, ela faz carinho como se fosse bicho de verdade! Ahhhhhh morro de orgulho!

12990863_1255200491174740_1020669444853388123_n

Valentina já está na escolinha? Como foi a escolha da escola? Sim, ela entrou com 1A11M, a escolha foi por proximidade e por ambiente limpo, seco, arejado e metodologia Montessoriana.

Você vive o dilema da maioria das mulheres modernas: É mãe, esposa, dona de casa e profissional. Como consegue conciliar tudo isso? Ahhhhh este dilema sempre está presente, mas agora equilibrei, tenho minha profissão e no tempo que estou com ela aproveito ao máximo e com maior intensidade! Mas às vezes me pergunto: Será que largo tudo e fico com ela?

image3

Pretende ter mais filhos? No momento não, tenho medo de passar por tudo que passei no início, mas aos poucos, começo a aceitar a possibilidade de ter mais um 🙂

Revele alguma coisa que ninguém conta sobre a maternidade e dê um conselho às futuras mamães: Meu maior conselho é se cuidar, se cuidar e se cuidar. Após o nascimento, qualquer alteração psicológica ou emocional, procure ajuda das pessoas, não se afaste, mostre seus medos, aceite ser auxiliado, tome um banho demorado, vá ao mercado sozinha, fazer algo que recorde sua vida antes de ter o bebê é saudável! Saia para jantar com o marido, tome banho de sol e, ao voltar destas escapadinhas, ame, ame seu filho! Sem medos, tenha paz!

Comente no Facebook

Comente no blog

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts relacionados com esta matéria