Método BLW: introdução alimentar sem papinha com vídeo

10 março, 2016
por:

Metodo_BLW

Médoto BLW – Baby-Led Weaning (significa uma forma diferente de introdução de alimentos sólidos, sem papinha)

Seguir os princípios do BLW aumenta a chance de pais e bebês curtirem a transição para os alimentos sólidos e irão ajudá-los a assegurar o bem estar do bebê.

A maioria dos bebês estarão prontos para inciar a alimentação com alimentos sólidos por volta do 6º mês.

Pais de bebês que foram prematuros (Abaixo de 37 semanas de gestação) ou que tiveram qualquer condição clínica que possa ter afetado suas habilidades motoras para segurarem ou qualquer alteração no trato gastro-intestinal devem SEMPRE procurar orientação do pediatra que acompanha o bebê. Somente após a avaliação médica decidir a respeito do uso do BLW como o único método de introdução alimentar.

  1. Aleitamento materno é a base para a auto alimentação: O leite materno, recomendado nos primeiros 6 meses de vida do bebê, é o melhor alimento para preparar o intestino da criança para receber  os alimentos sólidos. Bebês aleitados comem no seu próprio ritmo e também regulam a sua ingesta de comida e líquidos. Como o leite materno tem sabores diferentes (de acordo com a dieta da mãe), prepara o paladar do bebê para as novidades. Os bebês que foram amamentados são completamente capazes, com o adequado apoio proveniente dos seus pais, de manejar os alimentos sólidos que lhes são oferecidos. A auto regulação que o aleitamento materno demanda é a base do BLW . Porém, muitos pais de bebês que tomaram fórmulas acham que esse método é igualmente benéfico. A única diferença significante é a necessidade de assegurar que o bebê que recebe fórmula, receba água também durante a introdução alimentar.
  1. Entendendo a motivação do bebê: O contato na introdução dos sólidos oferece ao bebê a oportunidade de descobrir o que outras comidas podem oferecer como parte de uma descoberta em sua volta. Ele utiliza o seu desejo para explorar e experimentar e também para imitar as atividades dos outros ao seu redor. Permitir que o bebê sente tranquilamente, em cadeira própria e sempre em posição vertical, e manter a ênfase em brincar e explorar mais do que comer, possibilita a transição para as comidas sólidas de forma muito natural. Isto acontece porque aparentemente aqueles bebês motivados em fazer essa transição estão curiosos e não famintos.

3. Manter o Aleitamento Materno sob Livre Demanda mesmo com o início da Introdução aos alimentos sólidos: Pensando na alimentação láctea e a introdução de alimentos sólidos como duas atividades distintas, permitiremos maior tranquilidade ao tornar a experiência mais prazerosa tanto para os pais quanto para as crianças. A criança precisa EXPLORAR o alimento em um primeiro momento. Afinal, tudo é novidade: Nova textura, sabor, consistência, textura, temperatura!

4. Não engasga? Esta é uma preocupação habitual, porém, existem boas razões para acreditar que os bebês têm menos riscos de engasgo se ele estiverem no controle do que eles irão colocar em suas bocas do que quando o alimento é oferecido na colher por outra pessoa. Eles não são capazes de intencionalmente mover a comida para trás, até a sua garganta até que eles tenham desenvolvido primeiramente a habilidade de mastigar. E também, não desenvolvem habilidade de mastigar até que tenham desenvolvido a habilidade esticar e agarrar as coisas (alimentos). A habilidade de pegar coisas pequenas desenvolve mais tarde ainda, por volta dos 9 meses, quando o bebê adquire a capacidade de realizar o movimento de pinça. Então, um bebê muito pequeno, não consegue facilmente colocar a sí mesmo em riscos porque ele não consegue colocar  pequenos objetos em sua boca. A natureza é sábia… Alimentação com colher, em contraponto, coloca o alimento direto na boca da criança, na parte posterior, facilitando assim o engasgo.

O desenvolvimento neuropsicomotor do bebê entra em um compasso com o desenvolvimento da sua habilidade de manejar o alimento em sua boca e degluti-lo. Lembrando que CADA CRIANÇA TEM O SEU TEMPO! É importante resistir a tentação de ajudar o bebê nessas circunstâncias. Certifique-se apenas que o bebê esteja seguro, SEMPRE em posição vertical e SEMPRE sob supervisão de um adulto. Isso assegura que os alimentos possam voltar  para fora da boca (gag reflexo).

5. Assegurar uma nutrição adequada: Os bebês que se alimentam aceitam uma enorme variedade de alimentos. Isso ocorre, provavelmente,porque eles têm muito mais do que apenas o sabor no foco. Eles estão experimentando texturas, cores, tamanhos, formas e novas temperaturas também. Dar comida separadamente aos bebês faz com que eles aprendam a lidar com diferentes texturas e sabores, tornando-os crianças menos seletivas futuramente. Dicas: Bebês não precisam de dentes para mastigar. Um bom guia para saber o tamanho dos alimentos a ser oferecido nos primeiros meses de introdução alimentar é o punho do bebê.

Evitar: Fast foods, açúcares e sal.

Carnes: Devem ser oferecidas em pedaços grandes para serem exploradas e sugadas

6. E os líquidosA porcentagem de gordura no leite materno aumenta no decorrer da mamada. O bebê aleitado reconhece essa mudança e consegue controlar a sua ingestão hídrica diária conforme a sua necessidade. Uma vez com sede, ele tenderá a fazer mamadas curtas, às vezes nos dois seios para pegar o componente anterior do leite materno de ambas as mamas(rico em água). Caso esteja com fome, a mamada tende a ser mais longa para garantir maior oferta calórica do leite posterior. Seguindo o princípio do bebê guiando o desmame, a água poderá ser oferecida juntamente com as refeições para que a criança possa explorar as características físicas do líquido, mas não necessariamente porque ele está com sede. Bebês que recebem fórmula precisam de água durante toda a refeição para garantir o aporte hídrico necessário. Continuar oferecendo leite conforme a demanda do bebê durante o período de intodução alimentar é vantajoso pois ele vai decidir quanto e quando precisa do leite. Quanto mais fracionadas forem as refeições, mais irá diminuir a necessidade de leite ao longo do dia.

Médoto BLW, como fazer?

  1. Deixar o seu bebê participar de todas as refeições familiares, mesmo que ele ainda não esteja se alimentando com sólidos. É interessante que ele se interesse por esse hábito desde cedo.
  2. SEMPRE manter o bebê sentado enquanto está se alimentando. Assim que ele tiver habilidade para pegar os objetos com as mãos já terá habilidade para sentar no cadeirão.
  3. Oferecer tão logo quanto possível aquilo que você estiver comendo, de preferência alimentos saudáveis.
  4. Ofereça uma variedade de alimentos.
  5. Não apresse o seu bebê e nem ajude-o colocando as coisas em sua boca. Disponibilize TEMPO nesse momento.
  6. Não espere que o seu bebê coma logo de cara…. É um período de muitas mudanças e, portanto, de adaptação. TENHA CALMA!
  7. Ofereça os alimentos várias vezes, mesmo que o bebê não tenha aceitado num primeiro momento.
  8. Não deixe o bebê sozinho ao se alimentar. NUNCA
  9. Não ofereça alimentos perigosos: NUTS, PIPOCA, BALAS, etc.
  10. Se prepare para a sujeira: um plástico ou toalha limpos embaixo do cadeirão irão ajudar na limpeza final.
  11. Continue oferecendo o leite materno sempre que o bebê quiser.
  12. Se você tiver qualquer histórico familiar de alergia alimentar ou alterações no trato gastro intestinal, converse com o seu pediatra antes de iniciar o método.
  13. Finalmente, sinta prazer em apenas ASSISTIR esse espetáculo.

Confira vídeo sobre o método BLW:

Obs. Este post foi traduzido do texto da Gill Rapley, inglesa que descreveu o método, pela pediatra Dra. Renata Scatena

Comente no Facebook

1 Comentário:Método BLW: introdução alimentar sem papinha com vídeo

  1. sandra

    Legal

Posts relacionados com esta matéria